Mensagens

A mostrar mensagens de Outubro, 2011

As fadas

Imagem
As fadas... eu creio nelas!
Umas são moças e belas, Outras, velhas de pasmar... Umas vivem nos rochedos, Outras, pelos arvoredos, Outras, à beira do mar...
Algumas em fonte fria
Escondem-se, enquanto é dia, Saem só ao escurecer... Outras, debaixo da terra, Nas grutas verdes da serra, É que se vão esconder...







O vestir... são tais riquezas,
Que rainhas, nem princesas Nenhuma assim se vestiu! Porque as riquezas das fadas São sabidas, celebradas Por toda a gente que as viu...
Quando a noite é clara e amena E a lua vai mais serena,

Já tinha saudades...

Imagem
... de um robalinho assado à maneira da T. com batatinhas à maneira do N. :}

Delícia!

Alma e inteligência

O homem retrata-se inteiramente na alma; para saber o que é e o que deve fazer, deve olhar-se na inteligência, nessa parte da alma na qual fulge um raio da sabedoria divina.
Platão

Neil Young e Old Man

Imagem
Hoje apetece-me isto tudo :)


White Mansions e Dixie Now Your Done

Imagem
Lembrei-me disto e apeteceu-me também :)


Crosby, Still, Nash & Young e Carry On

Imagem
Apetece-me :)


Olha uma segunda-feira...

Imagem
... que é sexta :D



Amei...

Imagem
... esta imagem!


E esta.



Por mim, o filme teria terminado com esta :)


 E gostei destas todas :)






A Árvore da Vida

Imagem
Gostei :) Bonito... espiritual... sensitivo... 


Ok...

Imagem
... estou saudosista :)


Lloyd Cole e Speedboat

Imagem
Não resisto. Apetece-me esta também :)


Esta tem...

Imagem
... triplo sentido. Private joke ;)


Oh ácido acetilsalicílico...

As vinhas da ira

Imagem
:)
Outro livro da minha vida. Outro fetiche! A T. comprou-o em 1974 no Círculo de Leitores.
Eu li-o, talvez, em 1982... Isso, 1982. Tenho a certeza!



Como sabe que John Steinbeck é o meu autor de eleição, a T. ofereceu-mo no dia 20 de Outubro de 2002, depois de eu o ter 'namorado' muito :}


Obrigada, mais uma vez, por este belo presente! :)

The Grapes Of Wrath e I Am Here

Imagem
A primeira parte do concerto do Lloyd Cole foi feita pelos The Grapes Of Wrath :)


Pois é...

Imagem
... também guardo muitas coisas :) Este foi um concerto memorável! 23 de Março de 1990. Foi a estreia do N. em concertos com os tios todos.  Estávamos muito orgulhosos do crescimento do nosso menino. :) 

Foi pena demorarmos tanto a sair de casa... custou muiiiiito a 'acertar' o penteado ;)  E nós, pacientemente, esperávamos no sofá. O que nos divertimos. Rimos às bandeiras despregadas! :D

Lloyd Cole & The Commotions e Perfect Skin

Imagem
Apetece-me :)


Bom dia :)

Imagem

Três vezes...

Imagem
... é só fazer as contas ;)

Xutos e Pontapés e Esta Cidade

Imagem
Hengerinaque, esta é para ti ;)


Miriam Makeba e African Sunset

Imagem
Não é lindo? :)



E não me conformo...

Imagem
... com a mudança da hora!



Lembrei-me...

Imagem
... de um trava-línguas que sei desde sempre! :}


O tempo perguntou ao tempo 
quanto tempo o tempo tem. 
E o tempo respondeu ao tempo 
que o tempo tem tanto tempo 
quanto tempo o tempo tem.





O tempo

Imagem
Achei lindo :)


Aproveitar o tempo

Aproveitar o tempo! 
Mas o que é o tempo, que eu o aproveite? 
Aproveitar o tempo! 
Nenhum dia sem linha... 
O trabalho honesto e superior... 
O trabalho à Virgílio, à Mílton... 
Mas é tão difícil ser honesto ou superior! 
É tão pouco provável ser Milton ou ser Virgílio! 

Aproveitar o tempo! 
Tirar da alma os bocados precisos - nem mais nem menos - 
Para com eles juntar os cubos ajustados 
Que fazem gravuras certas na história 
(E estão certas também do lado de baixo que se não vê)... 
Pôr as sensações em castelo de cartas, pobre China dos serões, 
E os pensamentos em dominó, igual contra igual, 
E a vontade em carambola difícil. 
Imagens de jogos ou de paciências ou de passatempos — 
Imagens da vida, imagens das vidas. Imagens da Vida. 

Verbalismo... 
Sim, verbalismo... 
Aproveitar o tempo! 
Não ter um minuto que o exame de consciência desconheça... 
Não ter um acto indefinido nem factício... 

O valor do tempo

Fico sempre surpreendido quando vejo algumas pessoas a exigir o tempo dos outros e a conseguir uma resposta tão servil. Ambos os lados têm em vista a razão pela qual o tempo é solicitado e nenhum encara o tempo em si — como se nada estivesse a ser pedido e nada a ser dado. Estão a esbanjar o mais precioso bem da vida, sendo enganados por ser uma coisa intangível, não aberta à inspecção, e, portanto, considerada muito barata — de facto, quase sem qualquer valor. As pessoas ficam encantadas por aceitar pensões e favores, pelos quais empenham o seu labor, apoio ou serviços. Mas ninguém percebe o valor do tempo; os homens usam-no descontraidamente como se nada custasse.
Mas se a morte ameaça estas mesmas pessoas, vê-las-ás a recorrer aos seus médicos; se estiverem com medo do castigo capital, vê-las-ás preparadas para gastarem tudo o que têm para se manterem vivas. Tão inconsistentes são nos seus sentimentos! Mas se cada um de nós pudesse ter um vislumbre dos seus anos futuros, como podemo…

Rádio Macau e Só para Matar o Tempo

Imagem
Apetece-me :)


Bom dia :|

Imagem
Estou farta de estar doente!

Nuestros hermanos...

Imagem
... tienen una habilidad muy especial para los idiomas. Valle! Hoya! :D


Hoje foi dia de...

Imagem
... la beleze avant de la colture!


:D

A jaula e as feras

Tudo passou por mim.  Tudo passou por mim, sim, — mas passou...  A semente caiu no meu jardim:  Um sopro a trouxe e a levou! 
Quantas, oh, quantas vezes, (tantas, quantas  O sarcasmo dos deuses me escolheu)  Tu, que por mim passaste a horas tantas,  Demoraste — e porquê? — o teu olhar no meu! 
Tuas pupilas cheias de alma tinham  Tal fome de compreensão,  Que, trémulos, meus lábios e meus braços  O grito da resposta: irmão...! 
Mas nós passávamos. A vida, igual, banal,  Desenrolava-se entre aquele olhar...  Subia o pano. Ante a plateia,  Tu e eu só sabíamos falar. 
Quantas, oh, quantas vezes, (tantas, quantas  O sarcasmo dos deuses me escolheu)  Tu, que eu tive entre os braços, certa noite, a horas tantas,  Feriste o lábio súplice no meu! 
Um arrepio mais de além me percorria;  E eu compreendia, pelo amor com que chorava,  Que, no teu corpo, alguém, alguma coisa, me pedia  Mais do que o vício triste que te eu dava... 
Era um clarão! Giravam discos... Num instante,  Nada restava desse apelo de Absoluto.  E eu re…