Liberdade

O poema é
A liberdade

Um poema não se programa
Porém a disciplina
— Sílaba por sílaba —
O acompanha

Sílaba por sílaba
O poema emerge
— Como se os deuses o dessem
O fazemos
Sophia de Mello Breyner Andresen
Niwa Kozue

Comentários

Sa(ha)ra disse…
...que bom ficar no vício das silabas, senti-las na sua magestosa plenitude, senti-las apenas, sem as querer sequer compreender.



:-)
Bom Domingo!
nêspera disse…
:)

Tem um domingo bonito!

Mensagens populares deste blogue

🎶zeca afonso🎶maio maduro maio🎶